5 dicas para a #faxina do armário

Em tempos de quarentena, ocupar a mente e o corpo é um bem necessário para não pirar em meio a tantas notícias, fake news, ansiedade e medo.

Neste distanciamento social (e emocional) forçado buscamos dentro da realidade, da possibilidade e da vontade nos organizar mentalmente e fisicamente no ambiente que estamos: nossa casa.

Eu, mãe de dois sendo uma ainda completamente dependente, não tenho tido tanto tempo para assistir séries, filmes, ler aquele livro que está há quase um ano me esperando e sem tempo também para criar conteúdo para o blog e redes sociais. Falta um pouco do ócio criativo, mas, estou eu aqui perto das 23 horas para lembrar que é um excelente momento para se olhar com mais carinho.

Olhar para as escolhas já feitas em modelagens, em cores, em tendências. Revisar os calçados, que estão dando um tempo na sapateira e te deixando livre com chinelos e até descalça.

Vou deixar aqui algumas dicas de como fazer seu #ClosetCleaning sozinha, com calma, reflexão e consciência:

1 – Setorize

Separe o que vai analisar por tipos: calças, shorts, camisetas, camisas, saias e assim por diante. O mesmo para calçados, acessórios, bolsas. Desta forma conseguirá visualizar se tem peças parecidas na mesma modelagem ou modelo. Um exemplo fácil são as calças jeans. Veja se não encontra algumas skinnies com lavagens parecidas, flares com diferenças inexpressivas e aquelas bem antigas de cintura mais baixa, que não valoriza corpo algum. Tem mais do mesmo em todos os setores, garanto!

2- Analise com razão e emoção

Veja se as peças analisadas estão em bom estado (bolinhas, furos, desbotamento, costuras), se estão em uso no dia-a-dia, se faz sentido estar no armário. O tamanho é o seu? Ou esta ali no armário esperando você perder os 5 kilos que tanto almeja?. Aquele presente que ganhou, não trocou e nunca usou. Será usado? Possivelmente não. A cada análise racional também analise com o coração: memórias virão a tona a cada peça que você vir, boas ou ruins. Não mantenha peças em seu armário que lhe traga uma lembrança ruim. Só mantenha em seu armário, na sua comunicação e vida o que ama. Serve para pessoas, objetos e roupas.

3 – Experimente

Experimente. Tudo. Se olhe no espelho, coordene com peças que não havia usado antes. Fotografe caso tenha dúvida para analisar depois com mais calma. Mas é necessário experimentar e ver como aquela peça / calçado / bolsa / acessório representa você no espelho, se faz sentido estar em seus dias. Se vale a pena manter ocupando espaço e energia ao seu redor.

4 – Quantifique

Quando quantificamos conseguimos analisar friamente o quanto de dinheiro temos ali no armário. Analise a quantidade de calças, blusas, blazers, calçados com um valor médio e faça suas contas. Pode ser desesperador o resultado final em montante, mas lhe ajudará nas suas próximas aquisições a escolher melhor também.

5 – Separe em pilhas

Sugiro 3 pilhas: Fica, manutenção e doação/venda. Certifique que as peças nestas pilhas estejam mesmo na pilha correta, pois se olhar e julgar com atenção pode ser que um item da pilha Fica migre para manutenção, e uma da manutenção vá para a pilha da doação, visto que caso precise de ajuste ou modificação da peça tem um custo e não é barato. Vale mesmo a pena o ajuste?

Se já souber que cores te beneficiam será mais fácil fazer esta triagem. Se já conhece bem seu estilo e como se comunica com ele, melhor ainda! Mas se ainda não sabe nem estilo e cor, sem problema algum! Este é um exercício de autoconhecimento.

Ao final dele você conhecerá melhor suas preferências, seu armário ficará com a sua cara, com espaço para a energia circular e nada de dinheiro parado.

Deixa sua playlist preferida rolando e bora pra faxina!!

Beijinhos

Evelyn Pupe
Evelyn Pupe
Consultora de Imagem e Estilo | Mãe de Dois | Transformando vidas de pessoas e empresas | evelyn@evelynpupe.com.br

Deixe uma resposta